segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

AH... DONA PAUSA...

15 de Dezembro de 2012.


Ah... Senhora Dona MÚSICA...
Ah... Senhora Dona VIDA...
Eu e vocês, Música e Vida... Todas, nos curvamos diante de um só.
ELE, O MAESTRO. O AUTOR.
Compositor e Executor dessa obra chamada MÚSICA DA VIDA.

A gente tenta entender, tenta decodificar...
Mas a beleza das maiores obras de arte está exatamente aí...
Na ausência da LÓGICA.
Por que eu AMO a Bossa Nova? (Ah... Música Brasileira que me fascina!!)
Porque ela não segue aquela sequenciazinha de escala fácil e previsível.
Na Bossa Nova nunca se pode afirmar, categoricamente, que depois de um D(Ré) virá um G(Sol).
Os intervalos melódicos não são lineares dentro de uma escala lógica estudada e aprendida.
É sempre uma surpresa. Tudo pode acontecer.
A levada do início, que pode ser um jazz... pode, a qualquer momento, após uma pausa, se transformar num samba ou num blues... vai saber!?!

Ah... Dona Pausa...
Que poder tem uma PAUSA na música!
Imperiosa, ela traz a imprevisibilidade da mudança.
Enquanto ela acontece, sejam nos milésimos de segundos ou em sabe-se lá quantos compassos forem, nunca se sabe o que virá depois.
Ela, a PAUSA, pode levar ao início novamente - Da capo...
Como também pode fazer uma arrastada melodia virar um alegre e agitado refrão.
Imponente. Charmosa. Atribui requinte. Essa é a PAUSA.

Minhas estações sempre mudam após uma PAUSA.

Eu tentei entender. Tentei decodificar.
Tive a necessidade de “logicar” a última PAUSA.
No meio dela, eu só conseguia ouvir os meus “por ques?”...
No meio dela, eu só ouvia minhas queixas indignadas de que era absurdo eu ser fiel a ELE, o Maestro, e ter que passar por tudo aquilo...
Enquanto TUDO o que eu precisava era, exatamente, ouvir o que a PAUSA é: NADA.
PAUSA é ausência de som.
Quando um Maestro insere em sua obra uma PAUSA, o que Ele quer que se ouça?
NADA. Exatamente o que ela é: NADA.
Silêncio.

O Maestro não utiliza a PAUSA para explicar porque Ele a fez.
O problema é que ouvidos humanos são ansiosos, por natureza.
A gente não se acostuma a simplesmente ESPERAR.
No silêncio da ESPERA a gente quer explicações.
No silêncio da PAUSA a gente quer previsões.
Enquanto no silêncio da música da VIDA... TUDO o que O MAESTRO quer que façamos é CONFIAR.

Salmos 39.
" 5. Eis que mediste os meus dias a palmos; o tempo da minha vida é como que nada diante de ti. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade.
6. Na verdade, todo homem anda qual uma sombra; na verdade, em vão se inquieta, amontoa riquezas, e não sabe quem as levará." 

Quantas verdades em poucas linhas...
No meio do vazio da PAUSA, no desespero sufocante da angústia por querer respostas...
PRECISEI entender isso.
E dia após dia... Num processo de MATAR UM LEÃO POR DIA...
E ainda hoje com a certeza de que será necessário, daqui para todos os meus dias...
Fui ouvindo... no meio da PAUSA, com a paciência do Maestro...
Lições que me fizeram levantar da cama, voltar a comer, e, finalmente, apenas ESPERAR.

Uma sombra (como menciona o texto bíblico acima) apenas REFLETE alguém.
Ela não se basta sozinha. Sua própria existência DEPENDE de alguém incomparavelmente mais sólido que ela. Ela não se movimenta sozinha, não faz absolutamente nada sozinha! Ela sequer existe sozinha!

EU... sou a sombra do AUTOR da música dessa minha vida.
MEUS dias foram escritos por esse AUTOR - o mesmo alguém que eu PRECISO refletir.
Ele sonhou com cada um dos meus dias, Ele os mediu! 
Esse AUTOR foi quem fez e é o mesmo que mantém TODAS as coisas. 
“Conforme os Teus juízos, TUDO se mantém até hoje; porque ao TEU dispor estão TODAS as coisas.”
(Salmos 119.91)

Não foi fácil entender que: me inquietar não me levaria a lugar algum, e diante de tamanho poder, o que EU poderia fazer?...
Na verdade, durante um bom tempo, eu nem queria fazer nada.
Eu queria que ELE fizesse.
Mas era tempo de... PAUSA.

As lembranças das juras de amor...
As memórias do tempo investido...
As certezas dos potenciais enrustidos em quem eu aprendi a amar...
Tudo me levava ao pânico.
Pânico por ver tudo se esvaindo... Partindo... Me deixando.
Pânico por ver meus amores fazendo escolhas que os deixavam tão vulneráveis e vazios.
Pânico por me sentir impotente e “injustiçada”.
Pânico... por não conseguir sequer forçar a mim mesma a me lembrar QUEM É O AUTOR E MAESTRO da música da minha vida.

Mas no meio da PAUSA... MUITA coisa aconteceu.
No meio da PAUSA... olhos foram abertos.
E os primeiros foram os meus.
No meio da PAUSA... quem tentou bagunçar a execução da obra... PERDEU.
No meio da PAUSA... o maior poder que existe no universo prevaleceu. 
“... a ORAÇÃO do justo MUITO pode em seus efeitos.” (Tiago 5.16b)
(Ah, como ela funciona! ORAÇÃO funciona!!!!!!!)
No meio da PAUSA... o que era desejado pelo meu coração mas não era visto pelos meus olhos estava passando a existir.
Ah... PAUSA....
QUANTO PODER EXISTE NA PAUSA!

Depois de uma PAUSA...
Pessoas voltam. As mesmas pessoas... (só que) outras pessoas.
Depois de uma PAUSA...
Valores mudam. Alguns valores voltam e outros se vão.
Depois de uma PAUSA...
A mesma música continua. Mas o Blues vira Jazz. A Bossa vira Samba.
E tudo o que se pode fazer é reconhecer...
Que O MAESTRO... NUNCA erra.
O MAESTRO... NUNCA perde o controle.
O MAESTRO... SABE o que está por vir.
O MAESTRO... FAZ acontecer.
O MAESTRO... ELE... MANDA. A MÚSICA... OBEDECE!

E quando a música volta, depois da PAUSA...
A gente se perde naqueles intervalos melódicos que tiram o fôlego, que fazem as entranhas se contorcerem e os pêlos do corpo se arrepiarem...
A gente ouve aquele novo andamento da música... assim... meio abobado...
A gente dança a nova levada da música... assim... completamente extasiado...
Porque é MUITA sabedoria.
É muita SOBERANIA.
É muita... MAESTRIA.

A gente percebe que... valeu a pena chorar.
Valeu a pena ORAR.
Valeu a pena se abrir para o novo.
Valeu a pena ter tomado umas surras.
Valeu a pena olhar com outros olhos.
Valeu a pena ESPERAR. Porque ELE traz pra gente... o amor da vida.
ELE traz pra gente... o que a gente investiu e achou que ia perder.

Vale a pena. A música DELE... vale a pena.

A música DELE é que faz a gente sonhar de novo com véus, grinaldas, rendas, tules... rs
A música DELE é perfeita. A nossa não.
A música DELE é divina.
A música DELE tem propósito.
A música DELE é nobre. Não tem a ver com a gente. É pra muito mais gente ouvir e se emocionar.
A música DELE é sobre o que é eterno. A nossa é só sobre o que vai passar.

E é aí que a gente se lembra...
TUDO aqui VAI PASSAR.
Toda a vaidade dessa vida VAI PASSAR.
Quem eu SOU, o que eu TENHO... It's not about ME! Não tem a ver comigo!
ELE é o centro de TUDO. Dele saí e pra Ele eu vou. Estou aqui DE PASSAGEM. 

TUDO é dEle, por Ele e para Ele. 
A música da minha vida... É... ELE.

Alguns outonos. Sim, eles se foram. Outros virão. Fato.
Mas a Primavera chegou. A noite passou.
Nenhuma estação dura pra sempre. Nenhuma noite é eterna.
O andamento da música mudou.
O novo compasso faz o coração bater em contagem regressiva pra Abril de 2013!

E nessa Bossa NOVA... da (minha) vida... ELE manda. Eu obedeço.
Meu MAESTRO. Meu AUTOR.
Que sambinha bom!!... “Que amor é esse?!”...

Nenhum comentário:

Postar um comentário